Clássicos!

Loading...

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

"Secos e Molhados"

Acho que já está mais do que na hora de eu começar a falar dos meus discos nacionais. Eu sou conhecido pelos coroas dos discos, como o garoto dos discos de rock. Procurar LPs é algo engraçado, quanto mais você procura, mais você pode achar algo interessante e diferente.

O vinil no qual escutaremos hoje é "Secos e Molhados", de 1973. Esse LP é  sem dúvida uma obra prima, um clássico, pois ele é rico de elementos, que nutrem muito da identidade musical brasileira, onde o rock entra como precursor de poesias e danças folclóricas dentro de um estilo rico em atitudes.

Um grupo que se enquadra no Glam rock, no qual se apresentava com os rostos  carregados de maquiagem, dentro de uma época pesada no Brasil. A ditadura militar era o entreposto perfeito para uma banda com atitude, e respeito se consagrar. Cantando músicas a favor da liberdade de expressão, contra o racismo e contra guerras, o grupo era composto pelo pitoresco vocalista, Ney Matogrosso, João Ricardo e Gérson Conrad, também nos vocais e nas violas.

Uma capa que ficou para história! A capa do LP, que foi produzida por um fotógrafo daquela década, foi feita com os integrantes do grupo com suas cabeças numa mesa de café da manhã, cheia de produtos do "secos e molhados", ou seja, produtos de armazém, como broas, linguiças, cebolas, grãos de feijão e um vinho barato. A curiosidade em questão no contesto, que além da capa ser considerada uma das maiores da musica brasileira e do rock latino americano, uma coisa que alguns não sabem é que os integrantes do grupo com fome acabaram comendo todas as comidas que estavam na mesa.

Outra curiosidade do disco é que os produtores acreditavam que seriam vendidos cerca de 1.500 em um ano, mas para surpresa isso foi vendido em uma semana. Naquela época o como mercado vivia numa crise de vinil, para suprir as necessidades de fazer mais LPs dos Secos e Molhados, foram usados discos que não estavam vendendo, para derreter e fazer os outros. O vinil teve a tiragem na época de 800 mil vendas, postumamente foram cerca de 1 milhão de cópias vendidas.

O grupo “Secos e Molhados”, realmente é um grupo no qual tenho orgulho de que seja do meu país, pois eles introduziram ao Brasil numa época de censura, um rock com vertentes de folk, do psicodélico e progressivo, não deixando de ser poético, e folclórico. Um rock genuinamente nacional.

Faixas do LP:




domingo, 21 de novembro de 2010

Mulheres! Vai a dica para vocês.

Indico para as mulheres que estão interessadas em comprar bolsas em um ótimo preço.
Visitem o blog - http://www.notreve-gaia.blogspot.com/ - Nele vocês encontraram bolsas de ótimas qualidades e bons preços. Quase  exclusivas para vocês. Qualquer informação é só falar comigo, que eu também faço as encomendas.

http://www.notreve-gaia.blogspot.com/ - #ficaadica

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

"Crow music"

  Sei que nós somos seres humanos e que é natural evoluirmos, mas o que mais penso ultimamente é como regredimos em certos detalhes. Arquitetura, artes e música. Uns dizem que progredimos nesses pontos, mas na música especialmente no rock está difícil evoluir. Hoje temos dezenas de mega guitarristas, big bateristas, baixistas surreais, mas não conseguimos reproduzir nem um  terço dos anos 60 e 70. 

Nesse fim de semana meu pai me apareceu com uma pérola da história do rock. Quando digo isso, me refiro não aos clássicos, as lendas, mas ao bom e verdadeiro "ROCK"! Aquele com motoqueiros loucos, que rodavam as estradas escutando o melhor do hard-rock, misturado com aquele blues norte americano. Temos que admitir que nesse detalhe eles saibam ser os melhores.

A banda que iremos escutar hoje é a Crow ou corvo em português, que foi um grupo formado em Minneapolis no ano de  67. Eu particularmente não conhecia, mesmo escutando vários outro tipos de bandas das antigas e boas.  

Bem vou ser breve não vou encher mais linguiça, o nome do LP é Crow Music de 1969 o segundo disco do grupo. Vejam bem a foto da capa e reparem nos detalhes bem rock, tipo hells angels, irado. Não tenho muitas curiosidades maneiras para  falar hoje, a unica coisa que digo para vocês, que me escutam é que devem escutar essa banda. 

Além do show de capa e contra capa, o vinil e recheado de ótimas músicas no estilo, na mimha opinição único, chamado rock and roll. O vocalista David Wagner tem uma voz marcante e se enquadra perfeitamente no estilo.  A música mais famosa do grupo é "Evil Woman (Don’t Play Your Games With Me)", que está presente no disco, além desse disco ser uma versão rara, incluindo às músicas, Cottage Cheese e Slow Down, ambas pedradas do rock.

Se quizerem escutar essa preciosidade ai está o link:




quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Black Sabbath

Já está na hora de dormir, mas a minha fissura em pensar no rock, falar do rock viver no rock é tão grande que não consigo descansar sabendo que já tem alguns dias, que não posto no blog.
Esse ano tem sido um ano divertido e muito instrutivo musicalmente. Ter mais ou menos 90 discos, para uma coleção que se iniciou não tem nem três meses, é surreal e incentivador.

O vinil que irei falar nada mais nada menos, que o primeiro LP do Black Sabbath do meu querido  amigo Ozzy Osbourne. Esse vinil para mim é especial, pois foi um presente de uma querida amiga  da faculdade.

Era numa tarde daquelas quentes da primavera em Niterói, nós estamos no bar atoa esperando o tempo passar para irmos para aula. Papo vai papo vem, eu resolvi mostrar os vinis que tinha comprado  no mesmo dia. Ao ver os LPs ela comentou, que sua mãe tinha vários discos velhos e que não tinham mais utilidade. Na hora pensei e falei brincado, "ahh então me dá eles ué". Foi a partir dessa frase que descobri um pequeno tesouro guardado numa caixa velha  na casa dela.

No dia seguinte eu estava  lá com meu olhar de criança e cara de bobo babando e recebendo  com orgulho o presente que ela me dera.  Resolvi falar desse vinil pois ele é mais que clássico,  ele  é um marco na história do rock. Ele foi como posso dizer o divisor de águas do rock com a chegada do Black Sabbath introduzindo o Heavy Metal num mundo onde só os clássicos com letras de paz e amor viviam. O Black Sabbath, falava não só de coisas bonitas e simpáticas. Na época o álbum foi considerado “dark” demais!



Algumas curiosidades tem que ser lembradas, como o fato de o LP ter sido gravado em um dia, além de suas algumas músicas como “N.I.B”, são escritos a partir do ponto de vista de Lúcifer. Ao contrário do que muitos pensam o nomea da musica não são as iniciais para “Nativituy  in Black”
.
Letras de duas outras canções do álbum foram escritas sobre histórias sobrenaturais-temático. "Behind the Wall of Sleep" é uma referência à história de HP Lovecraft curto Além da parede do sono, enquanto que "The Wizard" foi inspirado na personagem de Gandalf de O Senhor dos Anéis ", música na qual o vocalista Ozzy faz bonito com uma gaitinha harmonica. 

O vinil foi lançado na sexta-feira 13 de fevereiro de 1970 pela Vertigo Records, Black Sabbath chegou ao número oito no UK Album Chart. É deixa um legado absurdo para identidade criada no rock.

Esse é vale apena escutar!

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

"O primeiro"

Meedle

Quando a vida quer algo para nós, tudo conspira  favor.  Falo isso, pois com minha coleção de discos foi assim. Apesar de sofrer muita influencia de amigos para  que começasse a  colecionar lps eu era preguiçoso e não tomava nenhuma iniciativa de  iniciar a coleção de vinis. Sem querer, em um almoço casual, apareceu um disco, que nem para mim era. Por sorte eu estava no lugar certo na hora certa, que o vinil do Meedle do Pink Flody, um clássico apareceu perdido. 

Não me contive  e acabei comprando o vinil e começando um novo vicio. Mesmo sem possuir vitrola fiquei animadissimo, pensando em escuta-lo o mais breve possivel.  O mais engraçado eu com o disco na uruguaina no mesmo dia rodando, quando resolvi parar pra olhar o disco. Foi só eu tira-lo do embrulho que, um cara louco ja me veio perguntando quanto eu queria nele. Eu que não sou bobo nem nada, não vendi e estou feliz com ele até hoje. 

Escutar esse disco é transcender em um rock progressivo de altíssima qualidade, na minha opinião esse é o melhor disco do Pink, onde eles mostram uma perfeita harmonia do grupo inteiro.  
Eu concordo plenamento com o que o próprimo David Gilmour, do Pink falou "Meddle está entre os meus favoritos. Para mim foi o princípio da caminhada dos Pink Floyd".

É lindo escutar o momento final da música Fearless, no qual a torcida do Liverpool cantando "You'll never walk alone", que deixa qualquer um arrepiado ao escutar. Outra música que é de pirar o cabeção é a ultima do álbum, Echoes, tem se sincroniza com a parte final do filme de Stanley Kubrick de 1968: "2001: Um odisséia no espaço". 

Realmente é válido comentar desse vinil, e me orgulhar por ter sido escolhido por ele, para ser o meu primeiro disco. 

A indagação maior está na capa! Na qual quem ve não consegue entender o que realmente é a imagem que ela possui, uma orelha, um nariz, uma viajem? Na verdade acho que cabe cada um ter sua própria interpretação.



Um outro detalhe que me deixa intrigado é a semelhança entre guitarrista David Gilmour e o Leoardo Dicaprio. Na foto ele  é o terceiro da esquerda pra direita e segunda da direita pra esquerda.

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Let There Be Rock


Hoje mais uma das minhas histórias, que parecem muito com o rock, sempre imprevisível! O disco no qual irei falar hoje é uma preciosidade  do Rock in Roll.

É comum no meu cotidiano, sair do estágio no centro do Rio e ir caminhando para as barcas. Meti-me nessa vida de colecionar discos após muita persistência de alguns amigos. Foi depois de um almoço que conheci a vontade da minha mais nova coleção.

Depois desse dia  minhas caminhadas para as barcas, não foram mais as mesmas. Agora o comum é eu perder pelo menos meia hora,  sentado com os coroas, que vendem vinis ali no centro. Ficar conversando com senhores de mais de 60 anos, tem sido muito instrutivo, pois com eles além de falar de discos e músicas, falamos  também de cenários no qual eu não pude viver.

Então para não enrolar muito vou falar logo do vinil. Eu  sempre gostei muito da banda ACDC, primeiro por que ela é uma das  maiores da história do rock e segundo devido ao  seu estilo,  que deixa qualquer um pra cima. Mais  uma vez eu na minha rotina despretensiosa de passar pelo "coroa dos discos",  acabei comprando  mais um disco, que nunca nem ouvido falar. Acho que eu o levei para casa mais pela capa peculiar, que ele tem!



Essa capa mostrada na foto é da banda Slaughter, cujo grupo foi formado em Las Vegas em 90, que tem como estilo o Heavy Metal. Dentro dela estava nada mais nada menos que o álbum clássico "Let There Be Rock".  Em falar em Heavy Metal, esse estilo foi dado  ao  ACDC no qual disse que seu real estilo era "ROCK IN ROLL".

Com certeza um dos melhores vinis que eu tenho, onde conseguimos unir a voz marcante do vocalista Bon Scott e os Riffs intensos do guitarrista Angus Young! Além de ser o ultimo disco com o vocalista,  o LP tem às últimas aparições do baixista Marck Evans.
Ainda estou na procura dessa capa, mas ao menos eu tenho esse LP que veio para mim eu  não o escolhi. O melhor de tudo é saber quanta sorte eu tenho com o rock!